Reputação

70% dos Diretores de Marketing apostam em impactos sociais como forma de engajar clientes

17/09/2019
 

Bom para você, bom para os negócios

Avançamos em uma era em que definir vai além da sustentabilidade dos negócios e sim  é uma questão de opinião dos pessoal dos consumidores. Nesse sentido, quase 70% das CMOs relatam que conectar suas marcas a impactos sociais positivos é uma maneira importante de envolver os consumidores.29 Na Pesquisa iProspect, 82% dos profissionais de marketing declaram que o compromisso social de sua marca desempenha um papel no crescimento dos negócios, 47 % afirmando que é importante ou indispensável.30

 

 

Continue lendo…

Reputação

A busca pela propósito das marcas

10/09/2019

Por muitos anos, o propósito tem sido um tópico que os profissionais de marketing filosofaram e deliberaram. Alguns o veem como o componente mais básico de seus negócios, enquanto outros o veem como uma função da responsabilidade social corporativa com impacto limitado na preferência do consumidor. Na economia da atenção, porém, a necessidade de propósitos elevados nunca foram tão importantes para construir e nutrir a credibilidade das marcas.


Expectativas crescentes

Propósitos elevados de uma empresa influencia a disposição de seus funcionários e consumidores de se envolver com sua oferta e produtos. Até 2025, a geração do milênio representará três quartos da força de trabalho global.21 As empresas devem atender a uma forte combinação – aumento da competição por talentos e força de trabalho priorizando propósitos, valores e flexibilidade. Setenta e cinco por cento dos millennials dizem que é importante que seus valores correspondam aos valores dos negócios em que trabalham.22 O que uma empresa representa e como ela vai para o mercado é importante. Dois terços (64%) dos consumidores em todo o mundo compram ou boicotam uma marca apenas por causa de sua posição em uma questão social ou política.23

Embora o Vale do Silício frequentemente deseje apresentar a tecnologia digital como a solução para todos os problemas, verifica-se que a maioria das pessoas (58%) não acredita que, por si só, a mesma ajudará a resolver os desafios sociais mais prementes do mundo, como a degradação ambiental.24 As pessoas, no entanto, têm grandes expectativas sobre o papel que as empresas devem assumir como líderes da sociedade na economia digital. Por exemplo, nos EUA, 66% das pessoas querem que as marcas se posicionem em questões sociais ou políticas25.

Continue lendo…

Reputação

Credibilidade na Era da Dúvida

09/09/2019

Novas forças redefinem a credibilidade. Esta marca é competente? É legítimo falar sobre esse tópico? O que diz está claro? As palavras são seguidas por ações concretas? Esta empresa é realmente transparente? Protege meus dados? A promessa da marca é autêntica? O produto entrega isso? Ele respeita minhas preferências do consumidor?

Essas perguntas, a maneira como as marcas as abordam e a percepção pública de suas respostas sempre desempenharam um papel importante na construção da credibilidade, o primeiro bloco da Equação de Confiança. No entanto, nos últimos 24 meses, duas forças colidiram e mudaram a noção de credibilidade: o surgimento de notícias falsas e a nova conscientização sobre as práticas de dados.

Notícias falsas e desinformação não são novas, mas a sofisticação e a escala atuais são inéditas. A formação de trolls farms, o surgimento de tecnologia de edição como ‘deepfake vídeos’ e o uso regular do termo Fake na esfera política alteraram nossa noção de verdade. O fato ajudou a alimentar a percepção, de três em cada quatro pessoas em todo o mundo , que seus países estão divididos.15  Na arena social, o Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT) demonstrou que histórias falsas se espalham seis vezes mais rápido que histórias verdadeiras quando lançadas em plataformas sociais.16

Continue lendo…

PR

Trust Equation

02/09/2019

 

A ascensão da economia da atenção

A atenção humana tornou-se um bem escasso. Com a sobrecarga de informações atrapalhando nossa capacidade de interpretar, processar e lembrar o que vemos e ouvimos, não é surpresa para os profissionais de marketing que nossa atenção nunca tenha sido tão fragmentada.

A evidência é difícil de ignorar: 62% das pessoas das 23 maiores economias admitem que estão constantemente olhando para as telas(10), a Apple declara que os donos de iPhone desbloqueiam seus telefones 80 vezes por dia em média(11), e o tempo gasto em mídias sociais excede 2 horas por dia dia.(12)

A conectividade constante pode ser esmagadora para os indivíduos e 57% dos consumidores acreditam que o ritmo da mudança tecnológica é muito rápido.(13) Em apenas três anos, a parcela de pessoas dizendo que muitas vezes se sentem sobrecarregadas pelas muitas escolhas que têm enquanto consumidores saltam de 49% para 59% (.14)

Trust Equation

Esta fragmentação da atenção combinada com o clima de confiança aumenta a pressão sobre a indústria da publicidade e está dirigindo um foco renovado na verdade, autenticidade e responsabilidade. Para construir, nutrir ou recuperar a confiança, as marcas precisam adotar princípios que respeitem, respondam e valorizem a escassez do tempo de uma pessoa.

No Future Focus 2019: Searching for Trust, da iProspect, demonstra como gerenciar o crescimento com integridade. É explorado o impacto do digital na confiança em uma era de interrupção sem precedentes e as implicações para todos nós.

Para tanto, foi criada a Trust Equation e que é utilizada para ver como as marcas podem alavancar o marketing digital para aprofundar seu relacionamento com os consumidores.

Continue lendo…

Reputação

88% dos Profissionais de Marketing tem a confiança na marca como prioridade

30/08/2019

Confiança; a razão por trás da estabilidade dos mercados financeiros globais, a motivação para o surgimento de partidos políticos, a característica humana que torna os medicamentos placebo eficazes. A confiança sempre foi a base para relacionamentos duradouros, o poder em jogo no desenvolvimento de todos os aspectos positivos de nossas sociedades.

As mecânicas da confiança são profundamente complexas, influenciadas por macro-fatores como riqueza(1), igualdade econômica(2), educação(3) e estabilidade política(4), mas também por micro fatores, como relações pessoais ou valores morais individuais.

“88% dos profissionais de marketing buscam ações para reforçar a confiança com seus consumidores como uma prioridade para suas marcas em 2019″

 

 

Continue lendo…

PR

Searching for Trust – Reputação é Performance

29/08/2019

 

Economia Digital

A economia digital trouxe novas oportunidades de desenvolvimento e inovação em todos os setores de negócios. Enquanto a maioria é “boa inovação”, continuamos a ver uma lacuna significativa em nível social, impulsionada por uma disparidade contínua no acesso à tecnologia baseada em fatores socioeconômicos. Isso ocorre apesar das tentativas heróicas de gigantes globais como Google, Facebook, Microsoft e outros para corrigir este erro. O Digital Society Index da Dentsu Aegis Network de 2018 revela níveis divididos de confiança (<45%) na capacidade da economia digital de criar empregos e lidar com essa divisão.

Marketing Data-Drive

Os dados são a moeda da economia digital. Também é ainda a prova, as evidências, ou a verdade em marketing. No entanto, os dados isolados podem ser um indicador falho, como o passado recente nos ensinou. De fake news a bots farms, agora temos mais complexidade para navegar do que nunca. Os problemas de propriedade, acesso e transparência que surgiram devido à velocidade e à escala em que estamos progredindo criaram todo um ecossistema onde, eticamente, todos nunca estiveram mais expostos ou à mercê do poder dos dados, sistemas e tecnologia.

No cenário de mídia hiper sensível, como as marcas e os editores devem navegar a noção de verdade e autenticidade? Se quisermos extrair uma verdade da economia digital, é isso: a confiança não é um ponto a ser tratado, é “o ponto”.

 

Continue lendo…